O Mito de Perséfone

A mitologia grega está repleta de personagens fabulosos que nunca param de nos surpreender. Um deles é a bela donzela Perséfone, que foi inicialmente a rainha da vegetação e mais tarde se tornou a deusa de Hades. É difícil reconhecer que sua doçura e inocência se tornaram sua pior frase.

Hoje quero contar a vocês a história desse jovem descendente de Zeus. Você ficará animado em conhecer sua vida na terra e no submundo. Vou te contar sobre sua origem, como foi sua vida e o que é sua relação com as estações do ano. Você verá que vai gostar dessa aventura.

curto mito de Perséfone

Origem de Perséfone

Segundo a lenda, esta jovem ela era filha de zeus, o deus dos deuses do Olimpo e rei dos homens terrenos. Deméter, sua mãeEla era a deusa das terras, tinha domínio sobre a agricultura, era responsável pela fertilidade e proteção de todos os tipos de plantações e suas plantações. No entanto, ambos os pais não moravam juntos; Zeus viveu com Hare no Olimpo, enquanto Deméter viveu na Terra com sua filha.

Mãe e filha formaram a equipe perfeita para manter a harmonia verde no planeta. A mãe fez brotar as sementes da terra e sua filha, Perséfone, ficou encarregada de manter o equilíbrio das plantas. Sua presença sustentou toda a vegetação e fez florescer os campos.

Levavam uma vida muito tranquila e fascinante, então, se encarregavam de dar vida à flora, longe do Olimpo e de todos os seus deuses. Até que um dia amargo tudo mudou entre eles, o dia mais escuro da vida de Perséfone. A partir de então sua existência foi dividida entre o mundo dos vivos e dos mortos e a natureza nunca mais foi a mesma. O que aconteceu para chegar a esta situação?

Perséfone é raptada por Hades

Perséfone e sua mãe costumavam fazer caminhadas na natureza apreciar de perto as obras de seus atributos. Com eles sentiram uma grande felicidade e os motivaram a continuar criando mais vegetação, cheios de paixão em benefício de todos os habitantes da Terra. Eles sempre vagaram pelos campos, riachos e campos.

Um dia ensolarado como tantos outros, Perséfone vai passear pela floresta com sua mãe e algumas amigas ninfas que sempre os acompanhavam. No meio dos jardins floridos estava a doce donzela, contemplando as belezas multicoloridas com suas companheiras, porém, sua mãe havia se distanciado para visitar outras áreas.

Esta pequena separação entre mãe e filha custou-lhes caro, pois alguém foi muito atencioso com ela e apenas esperou que o mais leve descuido a agarrasse e levasse consigo à força. Este malfeitor não era outro senão Hades, o deus dos infernos.

O personagem sombrio a guardou furtivamente, semeando em seu coração um desejo profundo de ter esta criatura inocente com ele. Ela é brilhante, alegre, vivificante. Ele é um ser infernal, um amante da escuridão e da morte. Quem poderia acreditar que as duas personalidades se combinariam? Seus pensamentos foram tomando mais e mais força até que ele cedeu aos seus desejos baixos, pegou sua carruagem e deixou o submundo em busca da menina.

Sua ilusão por Perséfone o levou a sequestrá-la e levá-la para o inferno. Suas amigas ninfas não puderam evitar. Quando todos perceberam o ocorrido, foram punidos por negligência, enquanto sua inconsolável mãe continuava a procurá-la desesperadamente sem ter uma resposta, porque ela não sabia o que estava acontecendo e não tinha ideia de seu paradeiro.

Helios, o deus do sol, movido por sua dor, ele contou a ela os fatos do sequestro. Foi quando ela, indignada, carregada de tristeza e desamparo, decidiu ir ao mesmo submundo em busca de sua filha, deixando os campos abandonados. Estas deixaram de florescer, os rios secaram desde as suas origens, a brisa deixou de soprar e a natureza morreu aos olhares preocupados de todos os habitantes.

Demeter suspeitou que Zeus teve cumplicidade com o que aconteceu e ele teve que intervir no caso. Zeus fala com Hades para retornar a Perséfone com sua mãeNo entanto, Hades recusa seu pedido porque a inocente princesa não tinha como voltar atrás. Ele tinha que viver no inferno para sempre. A única coisa que Zeus poderia conseguir era negociar o seu seria entre os dois mundos, alguns meses na Terra e outros com ele naquele lugar, Hades concordou.

Perséfone retorna à Terra

Preso e sem saída, coitadinho Perséfone teve que compartilhar sua antiga vida de felicidade e alegria com a de ser rainha do submundo, ambas totalmente contraditórias. Ela, junto com Hades, tinha o domínio dos mortos, impedindo-os de vagar por outros territórios. Outra com a mãe onde dançou, riu, cantou e deu vida aos infinitos campos florais.

Desta forma, continuou a existir entre a vida e a morte. Se diz que teve duas filhas de Hades: Macária, Deus da morte; e Melinoé, deusa dos fantasmas. Os gregos também dizem que Orfeu ajudou a recuperar sua esposa falecida, embora sua intensidade tenha sido frustrada por um erro.

Este cartoon mostra a vulnerabilidade da inocência e a importância de se proteger de pessoas ferozes. Como Hades, existem muitos e Perséfone poderia ser qualquer princesa inocente. A vida desses Personagens da Olympus é uma amostra clara da realidade existente entre os humanos.

Deixe um comentário